Secretaria de Educação passa a contar com assistente social e visitadora

Notícia publicada em 2 de abril de 2019

CENTRAL DE VAGAS – A Secretaria Municipal de Educação de Capão Bonito passou a contar desde o final de março com duas importantes profissionais – uma assistente social e uma visitadora.

É mais um passo rumo a estruturação de uma Central de Vagas que permitirá a realização de matrículas com critérios mais justos e democráticos tanto na Educação Infantil como Fundamental.

“É cada vez mais evidente que a educação, como política pública de grande impacto na vida cotidiana da população, não pode continuar sendo preocupação apenas de dirigentes e ensino ou agentes políticos. O atual contexto social exige que todos se envolvam na luta pela melhor qualidade de ensino, por uma educação que contribua para o fortalecimento da sociedade e realmente cumpra o seu papel de ensinar. Acreditamos que o serviço social – profissão situada no processo das relações sociais marcada por constantes lutas na defesa da igualdade dos direitos e condições de acesso a bens serviços -, além de intervenção direta nos mais diversos reflexos da questão social, tem nos espaços nas unidades escolares um terreno fértil e, ao mesmo tempo, contraditório para atuação profissional. A intencionalidade do serviço social no ambiente escolar é contribuir com a função social da escola, construindo espaços de intervenção nas relações sociais estabelecidas no seu interior e nas suas relações com a comunidade/sociedade onde a mesma está inserida”, destacou o secretário de Educação – Wagner Santos.

A assistente social da Secretaria de Educação é Rafaela Guimarães que há vários anos desenvolve ações no setor e também é a atual presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente. A visitadora é a servidora Sueli, recentemente remanejada de setor e que também tem experiência no setor.

Rafaela Guimarães já vem auxiliando os diretores de Divisão da Educação na checagem de informações e elaboração do perfil das famílias que pleiteiam vagas em creches e escolas.

“O grande objetivo é garantir que haja uma distribuição realmente justa das vagas em todas as regiões da cidade, evitando distorções e elaborando relatórios atualizados das demandas”, frisou Rafaela Guimarães.

Outras cidades do Estado de São Paulo acumulam resultados positivos com a introdução de assistentes sociais no Setor Educacional.

A cidade de Franca, por exemplo, desde 1978 conta com a parceria Assistência Social/Educação e vem estimulando equipes multidisciplinares em diversos projetos.

Assistente social Rafaela Guimarães já vem auxiliando os diretores de Divisão da Educação na checagem de informações e elaboração do perfil das famílias que pleiteiam vagas em creches e escolas.

930