Dulce Guimarães foi embora, para ficar, eternamente, entre nós

Notícia publicada em 28 de agosto de 2018

Estas palavras do prefeito Hélio de Souza, encerrando o Editorial desta Edição do “Aqui, Capão Bonito”, revelam a importância da Professora Dulce Guimarães para a história capão-bonitense. No vazio que ela deixou, ficou uma saudade funda nos corações daqueles que a conheceram. Seu trabalho como professora e diretora de escola; suas atividades jornalísticas; a letrista de música e a poetisa; a mãe, a avó, a amiga leal – um pouco de tudo isso habita cada um de nós.

No ultimo dia 30/07/88, a morte implacável chegou sem avisar e levou a Professora Dulce Guimarães. A família, os amigos, os colegas de trabalho, os alunos – todos ficaram atônitos diante do fato tão inesperado. A Professora Heloísa C. Arrunátegui – uma das amigas mais íntimas da Professora Dulce – ficou completamente arrasada. Heloísa tinha na amiga uma grande incentivadora em diversas empreitadas – inclusive no lançamento de sua candidatura à sucessão do prefeito Hélio de Souza. A perda da companheira, no entender da Professora Heloísa, torna a luta mais difícil – é verdade. Mas, ao mesmo tempo, enfrentar as próximas eleições com todo empenho é uma forma de homenagear a Professora Dulce, que sonhava ver os destinos de Capão Bonito dirigidos por uma Educadora.

Todos aqueles que tiveram o privilégio de conviver com a Educadora e Administradora Escolar Dulce Guimarães são unanimes em caracterizá-la como uma pessoa forte, destemida e absolutamente certa de suas convicções. Conseguia conciliar a austeridade nas relações de trabalho com o lirismo da poesia, quando se entregava à reflexão sobre esta vida tão passageira. Seus pronunciamentos e suas tomadas de posição sempre mereceram o respeito daqueles que dela se acercavam. Ela não era dada a vulgaridades e muito menos se contentava com a periferia dos problemas: queria sempre chegar ao ponto mais fundo, mais medular, mais essencial de cada questão.

Por ocasião da formatura de uma novo turma do curso de Magistério do Raul Venturelli, no final do ano passado, Dulce Guimarães fez uma análise vertical mas didática sobre a responsabilidade do Educador. Disse ela, em certo momento de seu discurso: “No elenco das profissões, a de professor é a mais importante e a de maior responsabilidade. Isto porque, das personalidades que ela molda, só presta contas à própria consciência e a Deus”.

Uma pessoa com esse nível de discernimento, somado à prática irrepreensível, não morre: redimensiona-se em novas sementes que vão, necessariamente, fazer a história avançar.

856